domingo, 3 de julho de 2016

CONSCIÊNCIA CRÍSTICA






- por BASHAR
Reconhecemos que, ao canalizarmos ou ao nos comunicarmos através de um lugar em particular de seu planeta nesta ocasião, a facilidade especial pela qual vocês estão tendo esta sessão tem a ver com os conceitos de uma consciência em seu planeta, chamada de consciência crística.
Gostaríamos de comentar um pouco mais sobre essa ideia neste tempo, de acordo com o espírito do lugar e com o tempo e a energia dentro dos quais vocês estão.
Em primeiro lugar, de maneira nenhuma queremos dizer, ao falar de consciência crística, como vocês a chamam, que ela é em algum grau para ser considerada como mais ou melhor do que qualquer outra maneira de pensar.
Vocês descobrirão que de nossa perspectiva, aquilo que vocês chamam de consciência crística teve, tem e terá muitas diferentes espécies de manifestações em seu planeta.
A consciência crística e a natureza de Buda são as mesmas energias, a mesma consciência.
De fato, aquilo que vocês reconhecem como consciência crística manifestou-se e encarnou-se em seu planeta de muitas maneiras diferentes e sob diferentes formas.
Em sua definição fundamental o que vocês chamam de consciência crística ou natureza de Buda é simplesmente o espírito coletivo do mundo, de todas as suas consciências combinadas.
Portanto, vocês também são consciência crística, natureza de Buda, o Grande Espírito, nesse sentido.
Como muitos de vocês estão começando a perceber, o conceito total não é tanto o conceito religioso da consciência crística, mas o despertar do espírito de unicidade, o espírito de amor, o espírito de criatividade dentro de cada um e de todos vocês.
Esta é a chamada Segunda Vinda.
É claro que não é a segunda, pois isso já aconteceu muitas vezes.
Isso foi apresentado a vocês e refletido para vocês de muitas maneiras e estilos diferentes daquilo que vocês chamam de origem das religiões em seu planeta, embora o que vocês chamam de religião em seu planeta nunca tenha sido a intenção de nenhum daqueles nos quais essas religiões foram baseadas.
O que vocês chamam de Jesus, o que chamam de Buda, o que chamam de Krishna, o que chamam de Wahoca, o que chamam de Maomé e todos os outros a que quiserem dar nome — nunca tiveram a intenção de começar o que vocês agora têm em seu planeta sob o formato de uma religião.
Eles nunca esperaram seguidores.
Estavam dizendo a cada um de vocês que poderiam ser o mesmo que eles,
ser como eles, agir da sua maneira.
A frase "Eu Sou o caminho" simplesmente significa "Sejam assim" e estarão refletindo a mesma energia, a mesma consciência, a mesma ideia. Não significa seguir.
Não significa criar um ritual em torno deles.
Significa que vocês são um, que todos podem fazer as mesmas coisas.
Isso foi dito, na realidade, literalmente por muitos desses grandes instrutores de seu planeta.
Mas, é claro que, devido a certos tipos de pensamentos de separação, de limitação e de crenças negativas, muitos de vocês sentem que não merecem reconhecer essa chama dentro de vocês, essa energia dentro de vocês, essa luz dentro de vocês.
Portanto, vocês se segregam desses ensinamentos, colocando-os em um pedestal mais alto do que aquele onde se colocam; não se consideram iguais a eles e assim criam rituais em torno deles, simplesmente agindo como seguidores em vez de fazedores, que é o que eles queriam partilhar com vocês, entregar a vocês — que vocês são tudo, nesse sentido, capazes de manifestar tudo, até mais do que eles manifestaram em seu planeta,
cada um deles em especial
Reconheçam que uma das razões pelas quais vocês têm em seu planeta essa assim chamada era transformacional, Nova Era, seja como for que desejem chamá-la, é que há um novo reconhecimento, um novo despertar de vocês.
Esse despertar é uma compreensão que não é sobre seguir alguém ou sobre rituais, mas sobre ser uno, sobre agir como se soubessem que são a Consciência Crística, a natureza de Buda, o espírito de Krishna.
O que vocês chamam de Deus, o que chamamos de Tudo Que Existe, o Infinito, como o quiserem chamar não importa, porque tudo é verdade
Lembrem-se de que quando falam sobre a ideia de alguma coisa ser onipotente, então ela é tudo o que pode ser e tudo o que vocês podem possivelmente imaginar ser; todas as representações são verdadeiras.
Se fosse menos, então não haveria o Tudo Que Existe por definição.
Dessa forma, vocês podem chegar até ela a partir de qualquer número de diferentes caminhos, mas simplesmente reconheçam que são uma parte dela, que ela é uma parte de vocês.
Vocês são simplesmente uma expressão diferente dela.
Não estão separados dela.
Ela não está separada de vocês.
É tudo um único acontecimento energético, embora possa haver diferenciação e diversificação dentro dele, o que é belo em si.
É no reforço dessa individualidade que vocês verão a maior unidade e harmonia aparecerem em seu planeta.
Pois vocês não podem ter verdadeira harmonia se não tiverem força em cada um dos componentes individuais, de maneira que cada um representa a si mesmo como é na verdade, como foi na verdade criado para ser.
Cada um de vocês é único por uma razão.
A unidade não significa que vocês devam se tornar homogêneos e perder suas características identificadoras.
Não.
Significa que cada um de vocês tem que ser forte o suficiente dentro de si mesmo para respeitar sua individualidade ao máximo e respeitar todas os outros reflexos individuais do Infinito.
Porque eles são todos reflexos do Infinito, e se eles realmente existem,eles têm uma razão para existir.
Se não houvesse nenhuma razão para existirem, se eles não fossem aspectos do Infinito, eles não poderiam, por definição, existir
.
Trecho extraído de um dos discursos de Bashar, canalizado através de Darryl Anka (www.bashar.org)

Nenhum comentário:

Postar um comentário